contrato social

Saiba o que é contrato social e como criá-lo na hora de abrir sua empresa

Se você está começando a empreender agora e pretende abrir sua própria empresa, é provável que já tenha se esbarrado com o termo “contrato social”. Na verdade, este é um documento essencial — sem ele, a sua empresa não existe oficialmente.

É nele também que se encontram todas as regras sobre o funcionamento da sua empresa — sócios, responsabilidades, entre outras. É por isso que a elaboração deste documento deve ser feita com bastante atenção.

Neste artigo, nós explicamos o que é o contrato social, quais tipos de empresa precisam dele e damos um passo a passo para você elaborar o seu. Confira!

O que é contrato social?

Podemos dizer que o contrato social de uma empresa é a certidão de nascimento do negócio. Ele estabelece o início e registra as principais informações sobre o funcionamento do empreendimento.

Neste documento constam informações como dados pessoais dos sócios, endereço da sede, atividade que a empresa executa, o capital investido no negócio, além dos direitos e deveres de cada sócio, entre outras — informações essenciais para a formalização da sociedade antes do início das operações.

Como todo ato constitucional, o contrato social tem certas formalidades. Isso quer dizer que a elaboração desse documento deve obedecer a alguns requisitos legais, que estão previstos no Código Civil — Lei nº 10.406/2002 —, do artigo nº 997 a 1.000.

Por que ele é tão importante?

A principal função do contrato social é formalizar uma sociedade perante o governo. A partir dele, o empreendedor adquire direitos como:

●     abrir conta-corrente jurídica;

●     emitir notas fiscais;

●     obter empréstimos, entre outros.

Vale destacar que o contrato social é realizado quando a empresa conta com dois ou mais sócios. Por isso, quanto mais minucioso ele for, menores serão as chances de surgirem disputas judiciais ou desentendimentos entre os sócios.

Quais tipos de empresa necessitam de um contrato social?

Apesar de o termo “contrato social” ser usado para caracterizar todos os contratos de constituição de empresas, cada natureza jurídica tem uma denominação específica para o documento — na verdade, o contrato social original está relacionado a empresas do tipo Sociedade Limitada (LTDA).

Sociedade Limitada (LTDA) e Sociedade Limitada Unipessoal (SLU)

Como dissemos, o contrato social original é o documento constituinte das empresas de natureza jurídica Sociedade Limitada (LTDA) — ou, mais recentemente, da Sociedade Limitada Unipessoal (SLU).

Na LTDA, dois ou mais empreendedores se juntam para criar uma sociedade empresarial com responsabilidade limitada. Isso quer dizer que cada um dos sócios tem a participação no capital social e, em caso de falência, os bens pessoais deles são protegidos.

Já na SLU, um único empreendedor pode abrir uma empresa e formalizar o negócio por meio do contrato social, seguindo as mesmas regras.

Sociedade Anônima (S.A.)

Já a Sociedade Anônima (S.A.) se caracteriza por ter capital aberto e fragmentado, por isso, além de seguir as mesmas regras da LTDA e SLU, o contrato social inclui as ações da empresa. Ou seja, é necessário especificar a negociação e a divisão das ações da empresa no documento.

Empresário Individual (EI)

Para as empresas com natureza jurídica Empresário Individual — aquele que exerce uma atividade empresarial em nome próprio —, o contrato social tem o nome de Requerimento de Empresário. Trata-se de um formulário emitido pelo governo federal que funciona como substituto do contrato social padrão.

A principal diferença entre os dois é que o requerimento não permite alterações nem cláusulas extras. Além disso, o patrimônio empresarial não é separado do pessoal, e o empreendedor precisa abrir o negócio com capital mínimo de R$1mil.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Para Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada (EIRELI), o contrato social tem a mesma função dos documentos que já citamos, mas recebe o nome de Ato Constitutivo. A principal característica desse documento é a adaptação às regras específicas dessa natureza jurídica — capital social mínimo de 100 salários-mínimos vigentes. Ao contrário do contrato do Requerimento de Empresário, o Ato Constitutivo permite a inclusão de cláusulas extras e pode ser alterado.

Porém, vale acrescentar que, de acordo com a Lei nº 14.195, de 26 de agosto de 2021, essa natureza jurídica foi extinta, e todas as empresas individuais de responsabilidade limitada passaram a ser consideradas sociedades limitadas unipessoais.

Microempreendedor Individual (MEI)

Apesar de o MEI não ser definido como natureza jurídica — trata-se de porte empresarial —, é importante destacar que esse formato simples de empresa dispensa o contrato social.

Para o MEI, basta o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI), que comprova sua atividade, com faturamento de até R$81 mil anuais, conforme previsto na Resolução CGSIM nº 48.

Como elaborar o contrato social da sua empresa?

O contrato social traz, além das informações básicas sobre a empresa, regras sobre a administração, o funcionamento e o papel de cada sócio na sociedade. Ele define de antemão as obrigações e os direitos de cada um dos envolvidos e serve de base para a solução de conflitos. Por isso é fundamental que o documento seja claro e completo.

Então, por onde começar? A legislação estabelece que o contrato deve trazer as seguintes informações, além das cláusulas estabelecidas pelas partes.

Dados dos sócios

O primeiro passo na elaboração de um contrato social é qualificar os sócios. Ou seja, identificar os indivíduos que farão parte da sociedade. Se forem pessoas jurídicas, será necessário informar a denominação ou a firma, a nacionalidade e a sede dos sócios. Já se forem pessoas físicas, as informações necessárias são nome, nacionalidade, profissão, estado civil e endereço residencial dos sócios.

Dados da empresa

Em seguida, é preciso informar os dados sobre a empresa: denominação (razão social), endereço (sede e filiais), tipo de organização (natureza jurídica) e prazo estimado da sociedade — que pode ser prorrogado posteriormente.

Capital social

Aqui você vai indicar qual é o montante investido pelos sócios para a abertura do negócio. O capital social pode incluir, além da moeda, bens imóveis e móveis — indicados pelo valor.

Quota dos sócios

Você precisará indicar também a participação de cada sócio no capital social investido. Normalmente, essa divisão tem como base o que cada sócio investiu..

Pro labore e participação nos lucros

Outra cláusula importante a ser incluída no contrato social é a definição da remuneração oferecida ao administrador da sociedade (pró-labore) e da divisão de lucro entre os sócios. Aqui, você pode informar a periodicidade e a proporção em que os lucros serão distribuídos. Além disso, você pode determinar a criação de um fundo de reserva para a empresa.

Regras para deliberações

Por fim, é fundamental definir regras para deliberações relevantes da sociedade — por exemplo, a entrada de novos sócios.

Contrato social criado, os sócios têm até 30 dias para fazer a requisição da inscrição. Ela pode ser feita no cartório, em uma junta comercial ou órgão de classe, dependendo da natureza jurídica da sociedade. Essa solicitação deve ser acompanhada do instrumento autenticado do contrato. Para esse processo é essencial contar com a ajuda de um contador.

Em resumo, o contrato social é uma das primeiras obrigações na hora de abrir uma empresa, e é indispensável entender todas as cláusulas que compõem esse documento. Mas, existem outros processos importantes se você está começando a empreender agora.

homem branco sentado em um sofá e de frente para uma mesinha em que há um notebook em cima

Contabilidade e tecnologia: vantagens da contabilidade online para startups!

A inovação, tecnologia, agilidade e transformação presentes na Contabilidade online são características que fazem parte do perfil das startups. Elas têm como  base a alta escalabilidade, o modelo replicável e surgem em um contexto de incertezas

É por surgir em um cenário de incertezas que as startups podem enfrentar riscos financeiros. Mas com um gerenciamento contábil online, e com o auxílio da contabilidade e tecnologia, é possível prevenir complicações e planejar as finanças. 

Pensando nisso, nós preparamos um artigo exclusivo para que você saiba quais as vantagens da contabilidade online para startups e porque ela é importante para esse tipo de negócio. Confira! 

Contabilidade e tecnologia: entenda a contabilidade online

A transformação digital ocasionou diversas mudanças estruturais nas organizações, já que o uso da tecnologia digital traz melhorias na agilidade, eficácia e desempenho dos processos. Com a contabilidade não foi diferente, a tecnologia digital agregou às atividades contábeis diversas vantagens, a partir da junção de contabilidade e tecnologia.  

A prestação de serviços contábeis por meios digitais já é uma realidade que muitos negócios adotaram para agilizar processos, economizar tempo e dinheiro. Com o advento da tecnologia, não faz mais sentido acumular pilhas de folhas de pagamento na mesa ou até realizar longas reuniões com um contador. 

Isto porque, o perfil do empresário moderno é entendido como uma pessoa envolvida em diversas tarefas que precisam ser resolvidas em pouco tempo e com muita responsabilidade. É preciso gerir o negócio, organizar documentos, administrar as finanças, coordenar ou gerenciar a equipe, entre outras funções.

Com a contabilidade online, não é preciso manter pilhas de papéis de notas fiscais ou despender tempo em atividades burocráticas. Os dados contábeis, financeiros e os documentos, que precisam ser enviados e recebidos, são registrados e organizados por meio da plataforma da contabilidade online. Assim, o empresário terá acesso e controle da vida contábil e fiscal da sua empresa quando e onde quiser.

Resumindo, a contabilidade online tem por objetivo oferecer um serviço tradicional de uma forma simples e inovadora, resultando em agilidade, inovação e economia de recursos. 

Porque a contabilidade online é importante para startups?

A contabilidade online é importante por dois motivos: a formalização da startup mantê-la regularizada junto ao fisco, com suas obrigações contábeis e fiscais em dia. Além disso, a contabilidade online também é um serviço consultivo, ou seja, o empreendedor pode consultar especialistas e tirar dúvidas sobre os procedimentos burocráticos de forma ágil e fácil.

O empresário que está começando uma startup, ou aquele que já possui uma, entende que para a tirar a ideia do papel e crescer é necessário investimentos. O momento de conseguir investidores pode ser difícil, por isso, apresentar o plano de negócios como uma empresa já formalizada pode ser um diferencial nesse momento.

Para formalizar a sua startup, é preciso elaborar um plano de negócios, ter o contrato social, abrir um CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), pagar as taxas necessárias ao governo, definir o porte da empresa, o CNAE e o regime tributário

Esses procedimentos são necessários para abrir uma startup. Para que todas as etapas aconteçam de forma fluída, sem burocracia e economizando tempo e dinheiro, recomendamos que procure os serviços de especialistas da área. 

Agora que você compreende a importância da contabilidade online para as startups, vamos detalhar as suas vantagens. 

Quais as vantagens da contabilidade online para startups?

A contabilidade online cumpre as mesmas funções legais da contabilidade tradicional. Em outras palavras, os serviços prestados por ambos modelos são os mesmos, o atendimento também é feito por profissionais especialistas, e contador responsável com registro no CRC (Conselho Regional Contabilidade), só que de forma online e a distância..

Os escritórios, que prestam serviços de contabilidade online, cumprem as mesmas obrigações legais, e assumem as mesmas responsabilidades que os escritórios convencionais, com atendimento presencial.

A diferença é que as rotinas contábeis e os serviços do contador acontecem a distância, com a intermediação de uma plataforma. A vantagem com este modelo de contabilidade é que as empresas podem controlar todas as suas informações, manter tudo em dia e sob controle.

Outra vantagem é que, por trás de toda a praticidade que a plataforma oferece, existe uma equipe de contadores que ajudam o empresário em qualquer dúvida ou necessidade, de forma personalizada, humanizada e eficiente

Desta forma, as vantagens que contabilidade online oferece para qualquer modelo de empresa, assim como para as startups, são :

  • Rotinas e atendimentos ágeis e práticos;
  • Centralização e registro de informações na plataforma;
  • Automatização de atividades manuais, como cálculos e envio de documentos,
  • Redução de erros com tarefas repetitivas; 
  • Economia, isso porque através da aplicação de tecnologia para automação de processos e inteligência artificial, a contabilidade online tem condições de oferecer preços mais competitivos para os empresários..
  • Autonomia do empreendedor. É possível verificar as tarefas de contabilidade do seu negócio em qualquer lugar com acesso à internet. 

Podemos dizer, então, que a contabilidade online auxilia as startups, assim como o empreendedor, descomplicando a sua rotina contábil e fiscal e ainda permitindo  que informações e documentos importantes fiquem seguros, organizados e disponíveis para acesso onde e quando ele quiser. 

Inclusive o acompanhamento dos valores de entrada e saída da startup pode ser feito através da contabilidade online. Com a visibilidade das informações, o empreendedor consegue tempo hábil para elaborar estratégias e alavancar o negócio. Para que isso aconteça, entenda os três pontos vantajosos que permitem essas ações. Confira abaixo.

Segurança financeira

O contador pode ser responsável pela parte financeira, econômica e patrimonial da empresa. A contabilidade online pode oferecer um planejamento tributário para a startup, o que possibilita uma segurança financeira. 

Além disso, caso aconteça alguma exigência de documentação ou complicações jurídicas, os contadores mantêm o registro das movimentações do negócio, o que também proporciona segurança em relação às finanças. 

Identificação de oportunidades

Assim como pode prevenir complicações futuras, a contabilidade online consegue fornecer a identificação de oportunidades para as startups. Os dados e informações contábeis presentes em relatórios otimizam e atribuem qualidade à tomada de decisão

Em outras palavras, há análises sobre o andamento da empresa, o que possibilita projeções e planejamento de oportunidades para a startup.

Consultoria tributária e empresarial

homem branco segurando um tablet e teclando em cima
Caso queira saber mais sobre a plataforma de contabilidade online,
nós temos um artigo sobre o assunto!

Outra vantagem da contabilidade online para startups é a consultoria tributária e empresarial. Isso significa que o especialista está disponível para auxiliar em várias questões da gestão financeira

Consultoria de precificação de produtos e serviços, redução de custos ou dicas para manter o fluxo de caixa saudável são alguns exemplos. É importante a compreensão de que a contabilidade online permite esse contato consultivo entre empresa e contador

Lei das Startups: entenda o Inova Simples

A Lei Complementar nº 167/2019 apresentou mudanças para as startups com o Inova Simples. Ele é criado para ser um regime especial e simplificado para iniciativas empresariais disruptivas, de inovação e que se autodeclaram como startups.

Assim, a norma ficou conhecida como “a lei das startups” principalmente por contribuir com a criação de um regime tributário exclusivo para esse tipo de negócio. 

O objetivo do regime é atribuir um tratamento diferenciado para estimular a criação, formalização e desenvolvimento das startups. Outro ponto importante é a simplificação no momento de abrir essas empresas. 

Sob o regime Inova, todo o procedimento de abertura pode ser feito de forma online e pelo  Portal Redesim (Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios). 

De acordo com a Resolução CGSIM nº 55, de 23 de março de 2020, é esperado que a implementação do Inova Simples ocorra a partir do dia 1º de setembro de 2021. 

Para formalizar a sua startup com esse regime, é preciso reunir dados de identificação dos sócios, saber qual a razão social compatível com o Inova, entre outras etapas que um escritório de contabilidade online pode facilitar e agilizar para você.

Em resumo…

As vantagens da contabilidade online envolvem agilizar demandas contábeis, garantir uma segurança financeira e até identificar oportunidades. Além disso, a praticidade de atendimento, a visibilidade de informações e a segurança financeira também são pontos vantajosos para uma startup que busca esse perfil semelhante de parceiros. Em outras palavras, que também seja ágil, automatizado e que agregue na evolução do negócio

Se você gostou deste conteúdo e se interessa por abrir seu negócio de forma fácil, sem burocracias e com profissionais especialistas em contabilidade, abra seu negócio conosco!

Quantas empresas posso abrir em meu nome?

Dentro do mundo dos negócios, novas oportunidades podem aparecer, incluindo a de uma nova sociedade ou até mesmo a abertura de mais uma empresa. Mas, neste momento, algumas dúvidas podem ficar no ar: ” quantas empresas posso abrir em meu nome ? ” ou “em quantas posso ser sócio?”. A resposta é simples, mas requer mais explicações: depende de cada caso.

Para saber se é possível ou não abrir mais uma empresa em seu nome, é preciso checar o tipo de empresa que você, empresário, tem e qual está planejando participar no futuro. Cada tipo de empresa possui suas características e regras que influenciam na abertura de outras no nome da mesma pessoa. 

Trouxemos um conteúdo exclusivo para você entender as regras que influenciam essa tomada de decisão. Confira!

Quando posso abrir mais de uma empresa no meu nome?

Só é possível abrir uma outra empresa em alguns casos específicos. Isso acontece porque, para uma nova constituição, é preciso saber qual o tipo de negócio o empresário já tem e qual pretende abrir. 

Devido aos diversos portes empresariais e naturezas jurídicas, criam-se cenários em que há possibilidade, ou não, de abrir outro negócio. Além disso, é válido ressaltar que o regime tributário, no caso o Simples Nacional, também impõe algumas regras e limitações no momento de abertura de uma nova companhia.

Há vários outros cenários e, cada um, com uma restrição ou permissão. Pensando em te explicar todos os pormenores de cada um, segue, abaixo, as respostas para cada segmento de empresa. Assim, não sobrará mais dúvidas sobre ” quantas empresas posso abrir em meu nome ? “.

No caso do Microempreendedor Individual (MEl)

O Microempreendedor Individual (MEI) não tem permissão para ser proprietário de qualquer outro tipo de empresa

Para poder abrir outro negócio, ou participar como sócio do quadro societário de empresas  Limitadas, o empreendedor deve realizar o processo de desenquadramento do MEI

Após finalizar o desenquadramento, o empresário pode participar de outra empresa, seja em sua abertura ou fazendo parte do quadro societário. Assim, aparecem outras alternativas para se formalizar como Pessoa Jurídica.

São muitos detalhes no processo de desenquadramento e ele pode ser muito burocrático. Por isso, se for mudar de MEI para ME , opte por contratar um contador.   

Para isso, confira os serviços da Contabilivre! Conte com os melhores especialistas para alterar sua MEI para ME e sem burocracias!

Quantas empresas o Empresário Individual (EI) pode abrir em seu nome?

Agora, se o seu caso se enquadra no Empresário Individual (EI), a resposta para a pergunta: ” quantas empresas posso abrir em meu nome ? ” é outra, mas ainda com as suas particularidades. 

Para o Empresário Individual, é possível abrir mais de uma empresa, mas esta afirmação requer um bom entendimento para evitar erros. Quem tem uma empresa de natureza jurídica EI, não pode ter outra do mesmo tipo.

Este empresário, poderá, apenas, participar do quadro societário de empresas limitadas, e/ou abrir uma empresa EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada) ou uma Sociedade Limitada Unipessoal.  

E o Empreendedor Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)?

Agora, se for o Empresário Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) , também pode surgir a pergunta: quantas empresas posso abrir em meu nome ? “

Neste caso, quem tem uma  EIRELI, não pode abrir outra empresa que seja da mesma modalidade. Porém, pode abrir um novo negócio em seu nome na categoria de Empreendedor Individual (EI). 

Além disso, poderá participar do quadro societário de quantas empresas quiser e que sejam do tipo LTDA (Limitada). Contudo, há algumas regras que precisam ser checadas antes. 

Os detalhes que precisam de atenção no momento de entrar em uma sociedade de uma (ou mais) empresa LTDA é referente aos negócios enquadrados no Simples Nacional.

Empreendedor, venha descomplicar a sua rotina com a contabilidade online e simples da Contabilivre! Clique aqui e conheça nossos serviços.

Outra pergunta frequente é: “em quantas empresas posso ser sócio?”

Outra dúvida que muitos empresários podem ter, além de “quantas empresas posso abrir em meu nome?”, é sobre a participação em quadro societário. Afinal, “em quantos posso participar?” E, a resposta, irá, novamente, depender do tipo de empresa

Se a empresa for Sociedade Anônima (S/A) ou Sociedade Limitada (LTDA), não há limitações para ser sócio. Contudo, se alguma das empresas for enquadrada no sistema de tributação simplificada, popularmente conhecido como Simples Nacional, é necessário saber que existem alguns limites. 

Simples Nacional e o quadro societário em mais de uma empresa

O Simples Nacional é um regime simplificado de recolhimento dos tributos, que são unificados em apenas uma guia de pagamento mensal (o DAS), para Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), ou seja, o regime funciona em todos os entes federados

Portanto, ele abrange vários níveis: a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, reunindo tributos de impostos estaduais, municipais e federais em uma única guia. 

Então, quando um empresário possui uma empresa (EIRELI, Sociedade LTDA e EI) e pretende ser sócio de uma outra que está enquadrada no Simples, ele precisa se atentar à soma do faturamento bruto anual de todos seus negócios. 

Isso porque é possível ter duas ou mais empresas no Simples Nacional. Mas o empreendedor precisa respeitar o limite máximo de faturamento do programa para que nenhuma das empresas sejam desenquadradas do sistema.

Assim, segundo a lei, o valor máximo da soma dos faturamentos brutos anuais global das empresas não pode ultrapassar R$ 4.800.000,00. Caso a soma de todas as empresas for maior que o limite, os dois negócios são desenquadrados do Simples Nacional. 

Essa regra corresponde à participação societária em empresas optantes pelo Simples e também aquelas que não, ou seja, caso o sócio, ou titular, com participação maior que 10% da sociedade, tenha uma empresa não optante pelo Simples, o faturamento dela também conta nesta norma. 

Por isso, é preciso ficar atento se as empresas estão, ou não, cadastradas no regime tributário Simples Nacional e, também, verificar a soma do faturamento anual das empresas para não deslizar nas regras e condições para todas as empresas que você for sócio ou proprietário.

Em resumo…

Essas são as especificações referentes à participação de quadro societário e podemos perceber que não há muitas restrições, desde que os limites estabelecidos de empresas com o regime Simples Nacional sejam respeitados. 

E, referente à abertura de mais de uma empresa em seu nome, é preciso sempre ficar atento à natureza jurídica da empresa que você já possui, e seguir as regras de cada uma, conforme apontamos no conteúdo. 

Agora que você já sabe a resposta para a questão: ” quantas empresas posso abrir em meu nome ? ” e está querendo evitar burocracias (nesse processo) conheça os serviços de contabilidade online da Contabilivre. 

Na Contabilivre, é fácil abrir seu negócio e desburocratizar processos com uma equipe de profissionais especializados em contabilidade.  Clique para abrir seu negócio com a gente! 


Uma imagem cortada ao meio, do lado esquerdo há um homem e um mulher sentados olhando um notebook, no lado direito há um espaço em azul claro com a frase: como expandir um negócio físico para o digital?

Como expandir um negócio físico para o digital?

Expandir um negócio físico para o digital pode ser o que a sua empresa precisa para conquistar novos clientes. O ambiente online está repleto de usuários e, consequentemente, de consumidores de diversas partes do país que podem conhecer os seus serviços ou produtos independente da localização do seu empreendimento

Já era possível notar o crescimento das vendas online antes mesmo do contexto da pandemia do  coronavírus. Mas com a necessidade do isolamento social no ano de 2020, o processo foi acelerado e trouxe um “boom” muito grande para o setor. 

Então, expandir um negócio físico para o digital está se tornando cada vez mais frequente.

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o número de transações efetuadas em e-commerce cresceu 65,7% em relação a 2019.

Parece ser uma boa expandir um negócio físico para o digital, não é mesmo? Mas para isso, é necessário seguir alguns passos. Acompanhe o conteúdo que preparamos a seguir e tire suas dúvidas! 

Conheça seu modelo de negócio

Antes de começar a investir em presença digital, ou seja, em expandir um negócio físico para o digital, é importante entender como o seu modelo de negócio funciona no ambiente online.

Se você tem uma loja de roupas em um espaço físico e quer levá-la para o online, por exemplo, o primeiro passo é criar uma vitrine virtual para exibir seus produtos.

Mas se a sua empresa é uma prestadora de serviços talvez você deva começar investindo em plataformas de comunicação, e por aí vai. 

Um ponto muito importante para quem deseja expandir um negócio físico para o digital é saber onde o público-alvo está para que seus produtos ou serviços cheguem até os possíveis clientes. Por isso, a presença digital é uma peça fundamental.  

Está precisando de ajuda na contabilidade da sua empresa? Entre em contato com a Contabilivre, contabilidade online e prática!

Crie um site para expandir um negócio físico para o digital

O site pode ser definido como a estrutura do seu negócio, ele é a vitrine da sua loja no ambiente online ou o escritório da sua empresa, por exemplo. Por meio de uma plataforma, os usuários encontram informações sobre os seus serviços e produtos, realizam compras e entram em contato com a sua empresa, se precisarem. 


O site precisa ser pensado para que o usuário tenha uma boa experiência e se interesse pelas mercadorias que seu negócio oferece. Independente se você irá criar o seu próprio site (existem plataformas simples e até gratuitas) ou contratará uma pessoa para isso, alguns pontos precisam ser levados em consideração: 

  1. Não esqueça de disponibilizar uma versão para dispositivos móveis;
  2. O site precisa ser atrativo, mas cuidado com os exageros. Disponibilize as informações de forma que o usuário encontre com facilidade seus serviços ou produtos principais;
  3. Você vai precisar escolher, comprar um domínio e contratar um serviço de hospedagem. 

Ter um site para a sua empresa é positivo até mesmo para o seu negócio físico. Um relatório divulgado pelo Thinkwithgoogle indicou que 63% das experiências de compra registradas no mercado mundial, em 2018, começaram online. 


Dessa forma, mesmo quando um usuário compra em uma loja física, há uma chance significativa da jornada de compra dele começar pelo site.

Use o WhatsApp Business

A comunicação com o consumidor é um dos principais fatores para determinar o sucesso de seu negócio online. Isso porque, sem o contato presencial, é preciso disponibilizar canais abertos e efetivos na qual o usuário pode tirar dúvidas, marcar uma reunião, comprar e ter um suporte à disposição.

Também é importante que os colaboradores do seu negócio estejam preparados para se relacionar com os clientes no online. Além da forma de comunicação tradicional, vale criar uma conta no WhatsApp Business, versão voltada para os negócios. 

A plataforma permite que o consumidor entre em contato de forma rápida e simples com a empresa em uma conta profissional. 

Saiba mais sobre os pagamentos online

Um desenho digital, do lado esquerdo tem uma tela de computador azul e grande com várias propagandas de promoções aparecendo e, no lado direito, tem uma mulher vestindo roupas azuis sentada olhando a tela, com uma empresa que provavelmente foi expandir um negócio físico para o digital

Ao expandir um negócio físico para o digital, o empreendedor pode ter dúvidas em relação às transações online. No entanto, não é preciso se preocupar com isso. Existem diversas empresas que atuam como intermediárias dessas transações, elas fazem o meio de campo entre o seu negócio e as bandeiras de cartão de crédito

Pesquise por empresas com credibilidade, confiança e segurança para o cliente e para você. Vale também conferir o prazo que as empresas intermediárias liberam o pagamento.

Também é possível receber pagamentos por boleto bancário, o documento pode ser gerado em plataformas digitais. Os cuidados são os mesmos, vale escolher soluções populares que tenham credibilidade no mercado. 

Há, também, o Pix, um meio de pagamento e transações sem taxas e que acontece em menos de 10s. Ele é uma opção que pretende substituir os outros tipos de transações e está disponível para ativação dentro dos aplicativos de bancos. 

Tenha presença digital 

Não adianta nada criar um site e os usuários não chegarem até ele. Por isso, é preciso usar das estratégias do marketing digital para fazer com que seus produtos e/ou serviços sejam vistos por mais pessoas. 

Diversas são as formas de fazer marketing digital, seja pelas redes sociais da empresa, por divulgação de influenciadores ou anúncios nas plataformas digitais. O ponto chave mesmo é conseguir fazer com que a sua marca tenha um alcance maior entre seu público-alvo

As redes sociais também são uma vitrine para exibir seus produtos ou serviços. Sendo assim, vale se aprofundar nos recursos que as ferramentas oferecem e usá-los para atrair mais público ao perfil comercial da sua empresa. 

Estruture a distribuição

No meio digital, é preciso que seus produtos cheguem até a casa dos consumidores. É verdade que as entregas são um fator complexo, mas elas fazem parte dos processos de um negócio online. 

Por isso, é preciso criar uma estrutura de entrega, indo desde a embalagem segura do produto até a logística de transporte. 

Você pode optar por criar essa própria logística ou usar uma transportadora parceira. Não esqueça que o cliente gosta de acompanhar as etapas da entrega. Sendo assim, é preciso fornecer um código de rastreio para cada pedido

Essa é uma etapa fundamental para a transição para o online, uma vez que os clientes se importam bastante com o prazo de entrega. 

Já prestadores de serviços, que não realizam a distribuição de um produto, mas sim oferecem um serviço, precisam prestar seu trabalho de forma online. Nesse contexto,  a comunicação com os clientes é fundamental. Disponibilize plataformas de sistemas, de armazenamento e de videoconferência. 

Uma consultoria jurídica, tributária, cursos online são exemplos de serviços que podem expandir seu negócio físico para o digital usando plataformas que auxiliem na comunicação entre colaboradores e clientes. 

Você está pronto! 

A expansão de um negócio físico para o digital é marcado por mudanças nos processos da empresa. Se antes toda venda ou serviço era realizado presencialmente, quando o cliente ia para sua loja, agora, ele pode realizar a compra sem sair de casa. Mas, para isso, o negócio precisa se adaptar ao novo comportamento do consumidor. 

Siga essas dicas e não deixe de levar seu negócio físico também para o online. Assim, você terá mais chances de conseguir clientes e aumentar suas vendas. 

Agora que você já sabe como expandir seu negócio físico para o digital, aproveite para deixar as obrigações contábeis da sua empresa com a Contabilivre! Simplificamos tudo para você focar ao máximo no desenvolvimento da sua empresa.  

Empresa inativa precisa de contador

Empresa Inativa precisa de contador? Descubra

Uma dúvida comum entre os empresários é se empresa inativa precisa de contador. O questionamento ocorre principalmente quando os donos de negócios resolvem pausar suas atividades e não têm certeza se o empreendimento ainda precisa cumprir obrigações fiscais e contábeis

Mesmo que a empresa esteja inativa, ou seja, fique sem despesa e movimentação financeira ela precisa de contador, uma vez que perante o governo, o negócio ainda existe. Dessa forma, ela apresenta obrigações acessórias e principais, que variam para cada estado e ramo de atuação do negócio.  

Deixar a empresa aberta sem a guarda dos serviços contábeis pode trazer consequências para o empresário, como multas e CNPJ  Inapto  pela Receita Federal. 

Quer saber por que empresa inativa precisa de contador? Preparamos um conteúdo para tirar suas dúvidas sobre o assunto. Acompanhe! 

Quando uma empresa é considerada inativa pela lei? 

Uma empresa é considerada inativa pela lei quando não desempenha atividades operacionais, não operacionais, financeiras ou patrimoniais durante o ano-calendário, porém, não encerrou as atividades

Muitas pessoas, no entanto, confundem o termo empresa inativa com empresa sem movimentação. O empreendedor precisa saber diferenciar cada condição, uma vez que elas impõem situações práticas divergentes. 

Uma empresa é considerada sem movimentação quando um negócio, mesmo após pausas de meses, realiza qualquer tipo de pagamento, recebimento de duplicatas ou fornecedores no ano-calendário

Um exemplo comum dessa situação é quando uma empresa possui um parcelamento ativo como débitos tributários e, ao pausar as atividades, continua realizando o pagamento desse compromisso, o que acarreta em transação financeira. Nesse caso, a empresa não se encontra inativa, mas sim sem movimentação. 

Quais declarações uma empresa inativa deve entregar?

As obrigações de uma empresa inativa não são absurdas, elas consistem em enviar declarações ao fisco para comprovação. A documentação exigida varia de estado para estado e de acordo com o ramo de atividade. O regime tributário da empresa também influencia nas obrigações. 

Mas no geral, empresas inativas são isentas das obrigações mensais, porém, não anuais. 

Empresas no Simples Nacional devem apresentar o repasse ao FGTS e à Previdência Social (SEFIP)  sem movimento no começo do ano-calendário. Além disso, é preciso entregar a  Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DEFIS) – antiga DASN e a Relação Anual de Informações Sociais “negativa” (RAIS NEGATIVA). 

Já empresas inativas no Lucro Presumido precisam apresentar a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) “negativa”, a RAIS negativa, a SEFIP, a Escrituração Contábil Digital (ECD), entre outras obrigações. 

Não sabe como cumprir as obrigações fiscais e contábeis da sua empresa inativa? A Contabilivre pode te ajudar, fale com nossos especialistas! 

Como deixar a empresa inativa na Receita Federal?

É importante deixar explícito que uma empresa não fica inativa apenas se você pausar  atividades e operações do seu negócio. Para deixar uma empresa inativa é preciso realizar uma alteração contratual, cabe ao dono decidir por quanto tempo ele deseja deixar a empresa nesse estado.  

Está com problemas relacionados ao CNPJ inativo? Contate nossos especialistas para te ajudar

Quanto tempo uma empresa pode ficar inativa?

O dono do negócio, ao realizar a alteração contratual da empresa, informa o tempo que o CNPJ deve ficar inativo. Uma empresa pode ficar inativa por um intervalo máximo de cinco anos antes de ter seu registro cancelado pelo órgão de registro. Ao final desse período ou se preferir antes, o empresário precisa fazer uma nova alteração no contrato comunicando o retorno das atividades.

Deixar a empresa inativa ou dar baixa no CNPJ: qual o mais vantajoso?

empresa inativa precisa de contador
Empresa inativa precisa de Contador? Saiba tudo sobre o assunto

A escolha mais vantajosa entre deixar a empresa inativa ou dar baixa no CNPJ vai depender dos planos que você tem em relação à empresa. Ambas as decisões trazem custos para o empreendedor, no entanto, se você tiver perspectiva de reativar a empresa pode ser mais vantajoso deixá-la inativa

Para dar baixa no CNPJ é preciso realizar a elaboração do distrato social e verificar algumas pendências no âmbito, federal, estadual e municipal

Além de ser necessário tomar cuidados que envolvem a  esfera trabalhista e previdenciária, como  rescisão contratual de acordo com legislação vigente, emissão da Certidão Negativa. Fora isso,  é necessário emitir o Certificado de Regularidade do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). 

Também faz parte do processo, registrar oficialmente na Junta Comercial o pedido de arquivamento de atos de extinção da empresa. 

O processo de baixa no CNPJ pode ser burocrático e demorado, mas a Contabilivre pode descomplicar alguns passos para você. Precisa dar baixa na sua empresa? Conte com nossos especialistas! 

Já para deixar a empresa inativa, como exposto acima, é preciso seguir algumas obrigações (obrigações essas que são simplificadas no estado inativo). O honorário, nesse caso, costuma ser mais em conta do que quando as atividades estavam ativas, por exemplo.

Como saber se a empresa ainda está ativa?

É possível consultar se seu CNPJ está ativo diretamente no site da Receita Federal. Tenha em mãos o número do CNPJ e, no portal, digite a informação no campo específico. Depois, basta clicar em “consultar” para visualizar a situação. 

Quais as consequências de não entregar as declarações necessárias?

A não apresentação das declarações e escriturações fiscais geram implicações para o contribuinte. O CNPJ pode ficar inapto, o que acarreta na impossibilidade do empresário participar de novas empresas,  os sócios são responsáveis pelos débitos em cobrança, entre outras problemáticas. 

Além disso, o não cumprimento das obrigações gera multas que variam entre R$ 200 e R$ 500, por declaração faltante. Caso você deseje reativar a empresa, é necessário colocar o empreendimento em dia, para isso, é feito um retroativo de todos os débitos. Motivos que já explicam o porquê empresa inativa precisa de contador.

Por que uma empresa inativa precisa de contador?

Como você pode perceber, empresa inativa precisa de contador, já que deve apresentar declarações e demonstrativos aos governos federal, estadual e municipal

As consequências causadas pelo não cumprimento das obrigações geram, muitas vezes, mais despesas para o lado do empreendedor do que a mensalidade cobrada por escritórios contábeis para providenciar declarações e demonstrativos e deixar sua empresa inativa sem pendências. 

Precisando de ajuda para apresentar as declarações e os demonstrativos da sua empresa inativa? A Contabilivre pode te ajudar a desburocratizar processos com a contabilidade online!

migre para a contabilivre


Decore

Decore: qual a importância do documento? Confira

É verdade que holerites não fazem parte da rotina de empresários. Porém, em algum momento, Microempreendedores individuais, sócios de Micro Empresas e profissionais liberais precisam comprovar sua renda. Para isso, existe a Decore

A declaração de emissão rápida serve como comprovante de renda para MEIs, para profissionais que não seguem o regime CLT e sócios de empresas (somente pessoa física). O registro é necessário para locar um imóvel, comprar um veículo, fazer aberturas de contas, obter crédito pessoal e realizar qualquer tipo de financiamento. 

Para os empresários, a Decore comprova o valor de retirada do pró-labore, que se assemelha ao salário do dono do negócio. 

Embora a emissão da declaração seja um processo simples, o contador precisa de informações e documentos relativos aos rendimentos do empresário ou do profissional para conseguir realizar a emissão do documento.

Devido à importância do registro, a Contabilivre preparou um conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre a Decore. Confira a seguir! 

O que é Decore e para que serve? 

Decore é a sigla para Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimento. O documento contábil foi criado para atender a necessidade que empresários e profissionais liberais têm em comprovar a renda em diversas negociações financeiras

Voltada para pessoas que não estão submetidas ao regime de trabalho CLT, a declaração é exigida quando empresários e autônomos precisam, no geral, comprovar renda para algum órgão ou instituição, seja para comprar um carro, um imóvel, emitir um visto ou obter algum tipo de crédito.

Quem pode utilizar a Decore? 

A Decore pode ser utilizada para comprovar a renda de profissionais liberais, autônomos, bolsistas, microempreendedores individuais e empresários que realizam suas retiradas por meio do sistema de pró-labore ou dividendos. 

Sendo assim, diversos grupos têm direito a usar a declaração comprobatória, são eles: advogados, médicos, dentistas, fotógrafos, pesquisadores, cantores, comerciantes formais e tantos outros profissionais

Lembrando que todos trabalhadores devem comprovar os recebimentos e as incidências sobre os valores

Quem pode emitir a Decore?

Apenas profissionais de contabilidade em situação regular junto ao Conselho Regional de Contabilidade (CRC) que possuem a Declaração de Habilitação Profissional (DHP) estão autorizados a emitir a Decore. 

Para realizar a ação, o contador precisa seguir a regra normativa do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), que exige anexar documentos que comprovem a origem do rendimento no preenchimento da Decore. 

Vale ressaltar que o documento só tem validade com o selo DHP fixado no corpo da declaração, e é válido no período de 90 dias após a emissão.

Precisando de um Decore? Fale com nossos especialistas e saiba o que a Contabilivre pode fazer por você! 

Como a Decore é transmitida? 

A Decore é transmitida de forma online diretamente no portal do profissional contábil dentro do site do CFC. Os documentos legais que serviram de garantia para a emissão da Decore ficam sob a responsabilidade do contador que emitiu a declaração por cinco anos, para fins de fiscalização do CRC.

É muito importante que toda contabilidade esteja correta. Uma vez enviada a declaração, não é possível que ela seja retificada ou cancelada. No entanto, caso algum dado seja enviado de forma equivocada, seja por parte do cliente ou do contador, a alternativa é indicar o erro no portal, anulando, assim, o efeito comprobatório. 

decore
A Decore serve como comprovante de renda para MEIS, profissionais liberais e sócios de empresas

Quais documentos comprobatórios necessários para conseguir um Decore?

Os documentos para comprovação variam de acordo com a atividade do profissional. No geral, eles devem mostrar a origem do seu rendimento. 

Para  Microempreendedores Individuais

Microempreendedores Individuais, por exemplo, precisam apresentar as notas fiscais emitidas junto à Declaração Anual do MEI ou disponibilizar o livro caixa, documento que possui os registros de entradas e saídas de dinheiro. 

Para profissionais liberais e autônomos

Já profissionais liberais e autônomos devem realizar o recolhimento do carnê-leão (forma de recolhimento mensal obrigatório do imposto de renda de pessoas físicas). Além disso, é preciso ter o livro caixa com as receitas mensais para o contador conseguir calcular o valor final do imposto que tem a pagar. 

Também é preciso anexar a Guia de recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e de Informações à Previdência Social (GFIP), com comprovante de sua transmissão. 

Para empresários não enquadrados como MEIs

Donos e sócios de empresas (pessoas físicas) podem retirar a Decore por Pró-Labore ou por distribuição de lucros:  

Pró-Labore

O empresário precisa apresentar os termos de Abertura e de Encerramento do Livro Diário, lançamentos referentes ao pró-labore e a GFIP com comprovação de sua transmissão

Distribuição de lucros

Nesse caso, o empresário apresenta o Livro Diário da contabilidade. Dessa forma, é usado a distribuição de lucros como comprovante de rendimentos. 

A Decore pode ser utilizada para comprovar renda em dois locais distintos?

É muito importante salientar que a Decore é elaborada para finalidades específicas. Sendo assim, a declaração não pode ser utilizada para comprovar renda em dois locais distintos. O contador, ao realizar a emissão no portal, precisa informar o CNPJ da empresa que solicitou a comprovação. 

Mas, afinal, qual a importância da Decore?

A Decore é uma declaração comprobatória, sendo assim, é um documento que diversas instituições financeiras, de ensino e até mesmo órgãos públicos pedem para comprovar a renda de profissionais que não seguem o regime trabalhista CLT. 

Em diversas negociações, precisamos comprovar nossa renda, seja para abrir uma conta do banco ou contratar empréstimos e cartões de crédito. Além disso, a Decore é necessária para realizar financiamentos estudantis e realizar consórcios. Ou seja, quase toda negociação financeira exige a declaração. 

Só é possível comprovar renda por meio da Decore?

A Decore é o documento oficial de comprovação de renda de profissionais liberais e empresários. No entanto, em alguns casos, os bancos e outros requerentes aceitam a comprovação de rendimento por meio do imposto de renda, registros do pró-labore e distribuição de lucro no Livro Diário e a demonstração contábil do balanço patrimonial. 

Faça seu Decore na Contabilivre!

Sem documentação probante, o contador não deve emitir a Decore. Uma declaração falsa resulta em problemas para o profissional contábil e a pessoa que solicitou o documento de comprovação. 

Normalmente, a Decore é feita por um contador que tem conhecimento sobre a sua vida financeira ou a da sua empresa, já que ele vai documentar informações sobre o seu negócio. 

A declaração nada mais é do que o resultado de uma organização financeira durante um período de tempo. 

Por isso, é muito importante que profissionais liberais e empresários que tenham planos de comprar um imóvel ou carro, contratar um empréstimo ou comprovar renda por outro motivo, durante os próximos meses, comece a organizar os documentos com antecedência junto ao seu contador.

A Decore é o resultado da vida financeira e contábil da sua empresa ou dos serviços que você presta. 

Agora que você já sabe a importância de ter um Decore, aproveite e contate a Contabilivre para te ajudar na emissão desse documento!

botão para contabilivre do conteúdo de elisão fiscal